Um só

novembro 28, 2010

 Me respire.
Me envolva.
Me purifique.
Seu corpo no meu, mesclado em um só.
Chego a ouvir de longe sua pulsação.
Que se acelera com um toque.
Um só toque.
Devagar chegamos ao êxtase.
E um delírio nos toma. Nos cansa.
Neste momento sabemos
Que sempre seremos.
Um só.
-------------------------------------------------------------------------------------
#Dia 1
- Descrição de ti própria.
  Nascida em 10 de Julho de 1992. Olhos e cabelos castanhos. Um sorriso bonito, mas um riso feio. Olhar esquisito. Coxas grossas. Maluquinha e ao mesmo tempo tímida. Encara. Mas falta iniciativa. Apego-me facilmente a detalhes (não a pessoas). Vivo falando inglês até pra quem não entende nada. Eu. Que me julgo, que me amo, que me odeio. Elania Coelho da Costa.

Um ponto de vista.

novembro 24, 2010

 Ultimamente eu venho observando muito. Lembro que, alguns dias atrás, eu estava só, pensando em como as coisas mudam. E de repente. Um abraço. É, aquilo mudou tudo. E não foi apenas um abraço, daqueles que você só dá formalmente à algum familiar, mas um abraço que dizia "senti sua falta". E você não sabe como esse abraço faz falta... Pois é.
 Hoje, eu estava no telefone, e aquela voz me entorpecendo, cutucou em um ponto. A razão. Sim, acredito que qualquer um, assim como eu, acha que muitos só ligam para pedir favores - na maioria das vezes - mas pra mim isso é até comum, porque não sou lá muito boa de papo. E se você quiser falar comigo, crie algo para falarmos, raramente jogo algum assunto. Bom, mas voltando. Aquela voz, mesmo dizendo que eu era uma chata, me trouxe conforto, porque, sim, apesar de tudo mudar, alguém lembra de mim. E esse alguém, único afinal de contas, me trouxe uma luz. Eu posso me sentir e estar sozinha, aqui na frente do pc, ou quando leio, ou quando vou dormir,etc... mas eu sei que, eu posso não ver, mas muitos estão comigo. Não conto só com minha família, mas aqueles que dizem ser meus amigos verdadeiros, e que ainda lembram de mim, de vez em quando me ligam e veem me visitar. Estes estão comigo.
 As coisas podem mudar, o tempo pode passar, as pessoas podem ficar estranhas, você pode ficar velho e feio, mas aqueles que dizem que nunca vão esquecê-lo, acredite, pois é verdade.




 Este ano foi muito importante pra mim. Obrigada a todos que fizeram parte disso. O término na escola. Um novo vício (livros). Amigos virtuais que eu nunca vi (pelo menos dois). Saídas. Shows. Aprendizagem. Ver a pessoa que amou com outra e não sentir nada, apenas felicidade. Passei por isso e pretendo passar por muitas coisas. Mas não quero dizer só das coisas boas, também existiram ruins, que é melhor, deixar em OFF.
 Até.


P.s. Olhem a "página" aqui ao lado "Sobre o blog". Obrigada aos comentários nas postagens anteriores e bem vindos novos seguidores. Eu até pensei em não permitir os comentários nessa postagem, mas, pensei, "o que tem?" e vou deixar aí, para você deixar sua opinião acerca disso. E me digam experiências de vocês também. Eu gosto muito de saber mais das pessoas que diariamente me leem e me veem aqui no blog.

O garoto e a garota.

novembro 20, 2010

 A garota. Não popular. Senta no fundo. Pega seu caderno. Examina o livro. Volta a olhar.
 A garota. Finge um sorriso. Tira os óculos. Respira devagar.
 A garota. Feliz. Parece. Mas, no banheiro, ela começa a chorar.
 O garoto. A observa do canto. Solta um suspiro. A admira. Sorri.
 O garoto. Pega sua mochila. Empurra-a para a porta. Finge não se importar.
 A garota. Olha para ele. Encolhe o peito. Vai para fora. Vira-se. Encara-o. E vai embora.
 O garoto. Fica parado. A olha caminhar. E um sorriso deixa escapar. Dos lábios que não podem tocá-la.
 A garota. P. da vida. Deixa lágrimas rolar. Enquanto seus passos violentos. Fazem barulho ao passar pelos braços soltos. E pelos risos frouxos.
 E o garoto e a garota. Parecem se odiar. Mas no fundo sabem que se amam. Só não falam. Nem contam.
 Enquanto isso. O garoto. A ignora. E ela. Chora. No banheiro da escola. E seus sapatos, já surrados. Pisam nos pés dele. E um olhar. Só um olhar.
 E o garoto e a garota. Respiram rápido. Coração apertado. Sem nada pra falar. Ele se vira. Ela volta. E separados continuam. Sem nunca se importar.




Você está aí e eu aqui.

novembro 17, 2010

 De longe parecemos ser muito mais que amigos. Somos amantes.
 De perto somos irmãos. Mas não é isso, somos um só.
 Mas eu percebo que quando você está lá, eu insisto em querer ficar aqui.
 E quando você vem me buscar aqui, eu quero fugir pra cá.
 E você está aí, enquanto eu continuo ali.
 Parecemos as pessoas mais sinceras. Mas não. Eu finjo.
 Finjo não te amar.
 E você está aí e eu aqui.
 E é assim que vai ficar.
Crédito da Imagem : Beauty In Everything

- Bom. First quero cumprimentar meus novos seguidores. Obrigada, são vocês que alimentam tudo isso aqui. E os comentários, outra vez obrigada.
 Outra informação, o blog O mundo sob o meu olhar do meu amigo Marcos, completou um mês de vida ontem (Parabéns o/ again) . E ao invés de eu dar algum presente (virtual,tá) . Ele me presenteou com mais um selinho do seu blog, que é lindo *-*.Obrigada. Look :

Leia-me aqui →  e aqui → Ele finge...

Podemos até ser diferentes ...

novembro 14, 2010



 Aquelas horas intermináveis, tentando, em vão, aprender a andar de skate, me cansaram. Olhei para a mão que ele escondia, com os olhos semicerrados. 
- O que tem ai? - perguntei, com um sorriso brincando em meus lábios.
- Algo que eu quero que guarde para sempre com você. - ele disse. Tentei puxar sua mão, mas ele se esquivava rapidamente. Ri e corri atrás dele, que fugia.
 - Dá pra parar. - gritei, ele já estava distante. Com minha respiração ofegante, fui aonde ele havia parado. - Então o que é? - perguntei. Ele me beijou e ficou sério, vi seus olhos ficarem ternos e sinceros. Enrubesci.
 - Promete cuidar dele? - confusa, concordei. - Pega, é seu. - ele abriu a mão e não havia nada ali. Olhei para ele, consternada. Ele me enganou.  Joguei-o no chão e ele riu.
 - Calma, você não pode vê-lo, nem tocá-lo, mas pode sentir. - Levantei levemente o rosto para encará-lo, o brilho dos seus olhos me ofuscava.
 - O que é? - perguntei mais uma vez. Ele me puxou e levemente beijou meus lábios.
 - Meu amor por você. - sussurrou em meu ouvido. Prendi a respiração e fechei os olhos, abraçando-o. E ficamos ali,ele ao chão, eu o beijando e os skates caídos. 

Abra seus olhos.

novembro 09, 2010

Paro, olho e não vejo.
Tudo anda vazio, sem luz, sem eixo.
Refaço o passo, escuto e penso,
quem me dera poder ver por pelo menos um segundo.
Choro, seguro e outra vez eu choro.
Abro os olhos com mais força, nada se vê, nada é tocável, nada é estável.
Meus olhos, são empréstimos em um banco, onde só poderei usá-lo quando eu puder afirmar que sou capaz de pagar a entrada.
Meus olhos que no escuro ficam, só agora. Eu quero uma luz. O que é luz? 
Só ouço descrições. Nunca vi e nem toquei...se é que é tocável.
Seguro, ando, escuto e vejo, vejo com os olhos que ninguém ver. Meu coração.

- Você que possui a visão, agradeça. Você reclama. E esses que não possuem, só esperam o melhor, não reclamam do que tem.
Só pense.



UM PEQUENO AVISO!
 No mundo da blogosfera, existem muitos que só "nos" seguem para serem seguidos. Espero que entendam uma coisa. Não gosto de "propagandas" de blogs pedindo para serem seguidos. Visitas? Bom, eu faço numa boa, sem reclamar e se gostar até comento, mas só SIGO, quando eu QUERO ou quando me dá vontade de ver como o blog funciona. Sim, sou cara de pau, se eu ver que o blog não "anda" eu paro de seguir. É, paro mesmo. Mas não sou uma blogueira ausente nos blogs que eu sigo, sempre que posso, estou lá, comentando, lendo e SEGUINDO... Se você que está me seguindo só esperando que eu o siga, é melhor parar. Quero "perseguidores" fieis, que gostem do que eu escrevo, e que gostem de ver o que sempre tem por aqui. Não esperem muito de mim. Sou boa, sou amiga, sou sincera, mas não sou idiota. Gente, era só isso. Um pequeno "desabafo". Bom resto de semana pra vocês o/. 



Passo adiante.

novembro 05, 2010


 Fecho os olhos e me seguro na ponta da mesa. Quem me dera ter você aqui. Peço um copo d'água. E novamente me debruço sobre a mesa. Tentando, em vão, reprimi um soluço. Lágrimas escorrem sobre o meu cabelo, que está todo sobre minha cara.
- Sua água, moça. - disse o garçon. Eu não agradeci, nem olhei-o. Apenas fiquei ali, chorando e tentando entender o porquê.
- Você devia sair sempre querida. Às vezes as pessoas não fazem isso porque querem. Somos diferentes, tente entender isso. A vida é feita dessas provações, passe por elas sorrindo e continuando a lutar. 
 Era o que minha mãe sempre dizia, quando eu chorava ou brigava por algo. Mas agora, aquele conselho, dói. Como posso sorrir com tudo isso? Sei que vou continuar lutando, seguindo. E também sei que somos diferentes. Mas você, simplesmente me deixou. E eu, que agora, queria tanto um abraço. Daqueles bem apertados que chegam a sufocar.
- Posso? - alguém pergunta. Levanto o olhar e vejo um retrato próprio de mim. Sou eu? - Cara, Melinda, você está péssima, mamãe não se orgulharia disso. - Não, é minha irmã gêmea.
- Pode me deixar só aqui. Não quero ver ninguém. - disse.
- Com essa cara afundada na mesa, claro que não vai ver ninguém. - ela solta um suspiro e continua. - Ele não vai voltar, assim como ela. Deve aprender isso. 
- Eu sei, mas dói. Não posso simplesmente passar por isso sorrindo e continuar. Ele não estará aqui. Não poderei abraçá-lo. Não direi mais eu te amo pra ele. Eu vou aprender, mas não agora. - falei, limpando o rosto.
- Sabe, eu concordo com você irmã. Mas, tem uma coisa, eu estarei aqui pra quando você precisar. Mudando de assunto, aquele garçon não para de olhar pra você. - ela fala, colocando a mão sobre a boca para não rir.
- Não estou interessada. Só fazem duas semanas. - olhei pra ela. E procurei o tal garçon. Ele poderia ser bonito e me olhar de uma maneira própria, podia até me chamar atenção, mas não daria aquele passo agora. Não agora. - Talvez depois. - conclui.
- E se ele não quiser mais? - ela pergunta, encarando-me com aqueles olhos azuis, cor do céu.
- Ai, tem outros. Não vou mudar minha atitude agora, só por um cara que nem conheço.
- Mas um dia vai. E quando esse dia chegar, sei que ele vai está sorrindo pra você. 
- Eu também sei. Mas agora não posso dar esse passo adiante. Deixe-me debulhar em lágrimas, esperniar, soluçar, me lamuriar, só por enquanto, deixe-me. - Falei a ela, e com um sorriso ela saiu.
Ele não está aqui, mas vou seguir, só que agora, eu não posso. Vou esperar. Vou tentar. Vou conseguir...


Espero que entendam a "moral" desse conto. Me veio agora, na hora, acho que foi pelo sonho que tive na noite passada, e por estar escrevendo tantas coisas ultimamente. Bem, desejo-os um fim de semana esplêndido, e para os que vão fazer ENEM(como eu), boa sorte :). 

Unique

novembro 02, 2010

 Você é real? Me perco em seus olhos, te fazendo ficar vermelho.
 Você me questiona. E com minha voz sonha, flutua. Me consome.
 Volta e diz que não é perfeito. Eu também não sou, mas juntos quase chegamos a perfeição.
 Eu sinto em mim que nós somos especiais. É verdadeiro o que sentimos.
 Somos isso.
- Você acha? - pergunta.
- É claro. Eu te amo. - respondo.
 Você ri e me beija. O beijo mais doce sentido.
 Isso tudo é verdade. Quero que entenda.
 Deito sobre ti, ouvindo teu coração.
 Sim, você é real.


* Inspirado na música Davvero do cantor Virginio. E eu já tinha feito esse pequeno texto a um tempinho, queria escrever algo novo, mas nada saiu. Talvez depois. Beijos a todos e obrigada pelo carinho :)

1° Desafio (jogo *-*)

novembro 01, 2010

A linda Ana do Blog Bitter Sweet me enviou esse jogo dos sete. É bem simples *-* Espero que curtam minhas respostas;)


7 Coisas que tenho que fazer antes de morrer :
- Publicar um livro
- Me formar em Letras e Psicologia(algum dia '-')
- Conhecer o Jensen Ackles 
- Morar sozinha (egocêntrismo alto -Q)
- Dirigir
- Ter uma biblioteca particular
- Ser uma mochileira por pelo menos um ano \o/


7 Coisas que mais digo :
- Aff ; Droga ; merda ; doido ; abestada ; Deus me livre ; mó paia . (ér u.u)


7 Coisas que faço bem:
- Cozinhar ; Escrever (acho :/) ; make up ; descobrir algo rápido (sou detetive G.G) ; conselhos ; durmo(u.u) ; rir ;D.


7 Defeitos meus:
- Preguiçosa
- Lenta
- Tímida
- Mau humorada de manhã
- Masoquista
- Reservada
- Chocolatra


7 Coisas que eu amo:
- Deus, família, amigos, chocolate, escrever, filmes e ler.


7 Qualidades :
- Conselheira ; Afetuosa ; Sincera (em alto grau) ; Verdadeira ; Amiga ; Altruísta e Meu sorriso.


7 Pessoas para fazer o jogo dos sete:
Raíla

Ana Paula

Jéssica F.

Jeniffer Yara

Priscila

Rodrigo

Marcos
 
FREE BLOG TEMPLATE BY DESIGNER BLOGS